ENEL humilha população de Jaraguá, que se questiona cadê os 23 milhões de investimentos

24/10/2020 – A população de Jaraguá se sente humilhada pela ENEL, até porque não pode ventar que a energia elétrica desliga, quando chove a energia acaba e volta de 10 a 20 vezes em poucas horas, queimando equipamentos, causando prejuízos. Mas o pior é quando a rede elétrica apodrecida rompe algum cabo, a incompetência da empresa aparece de forma muito clara, apesar do breu. Levam às vezes mais de 12hs para solucionar o problema, como ocorreu nas últimas horas nos bairros; Primavera I, II e III, Sonho Verde, Dhema da Mata, Genoveva Park, Ana Edith, Goiás Rural e parte do Centro..

No dia 13 de outubro, a Enel Distribuição Goiás teve a cara de pau de mandar nota à imprensa da cidade dizendo que estava com um amplo plano de melhorias para o sistema elétrico de Jaraguá. De acordo com o diretor-presidente da companhia, José Luis Salas, seria investido cerca de R$ 23,5 milhões para garantir maior estabilidade ao serviço de fornecimento de energia no município, beneficiando toda a população e, em especial, os empresários e comerciantes da região. A população se pergunta cadê esse dinheiro? Se eles não têm equipes de plantão, para resolver o problema da ruptura de cabos podres.


“Sabemos da importância da cidade de Jaraguá como um polo produtor do estado de Goiás, estamos sensíveis às demandas dos comerciantes, empresários, dos gestores públicos e também da população. Temos investido desde 2019 no sistema que abastece Jaraguá e identificamos que era preciso uma ação emergencial para garantir que o fornecimento na cidade atinja o nível de confiabilidade necessário para que a cidade continue produzindo e gerando riqueza para o estado. Por isso estamos colocando em prática esse plano, com todo esse investimento”, enfatizou José Luis Salas diretor-presidente. A pergunta é, você acredita no diretor presidente da ENEL Goiás?


Apenas como palavras ao vento, José Luis Salas diretor-presidente também prometeu “realização da automação e manutenção de bancos de capacitores que atendem a subestação Jaraguá e a instalação imediata de um novo banco regulador de tensão, evitando as variações na tensão da energia na região” disse. O imediato deles só se for para 2030.


Ainda segundo eles, outra obra que seria antecipada é a construção de um novo circuito com 35 quilômetros de rede de alta tensão para atender o município (Será que sai antes de 2030?). Salas afirma, ainda, que “deslocou equipes adicionais para atender de forma imediata as ocorrências registradas por conta dos impactos causados na rede pelas últimas chuvas que atingiram o estado”. Para a população, em mensagens nas redes sociais essa última promessa é mentirosa, haja visto que aproximadamente 40% da cidade ficou sem energia entre os dias 23 e 24 de outubro por mais de 12hs.


  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
radar novembro 2020.gif
petro-arabe2-17-8.gif
PATROCÍNIOS
midia-top-2020.gif