• Folha de Jaraguá

Caiado se reunirá com empresários e trabalhadores para reavaliar decreto

Uma semana que promete muitas reuniões – virtuais e em videoconferências – entre o governador Ronaldo Caiado, empresários e representantes dos trabalhadores. Assim será preenchida, em grande parte, a agenda do chefe do Executivo a partir de segunda-feira (30/03). Os compromissos foram revelados pelo próprio gestor a uma emissora de rádio goiana. “Não vamos assumir vertentes populistas ou inconsequentes”, ressaltou Caiado, ao comentar sobre quais serão os critérios que vão subsidiar sua decisão de flexibilizar as medidas restritivas no Estado, que, por decreto, findam no próximo sábado, 4 de abril.

Para isso, o governador adiantou que conduz uma nova rodada de negociações, não somente com empresários, mas também com sindicatos dos trabalhadores. O Governador reitera que critérios para flexibilização de isolamento social serão científicos e confirma medidas para mitigar crises econômica e social.


Atualmente, Goiás conta com 60 casos confirmados da Covid-19 e uma morte. Nove pessoas estão hospitalizadas no Hospital de Campanha (HCamp), montado dentro da estrutura do Hospital do Ipasgo, no Parque Acalanto. Caiado disse que tem conversado constantemente com médicos e cientistas europeus, norte-americanos e chineses para frear, ao máximo, a disseminação da doença em Goiás.


Argumentos sólidos para tal afirmação não faltam: limitação de leitos das Unidades de Terapias Intensivas (UTIs); número de profissionais em Saúde abaixo do necessário (já que há um crescimento exponencial da Covid-19); e tempo de permanência do paciente na UTI, em média, de 20 dias – para efeito de comparação, um doente que tenha saído de uma cirurgia grave fica, no máximo, cinco dias sob os cuidados intensivos da equipe médica.


TESTES RÁPIDOS

Durante a entrevista, o governador também esclareceu porque a SES cancelou a compra de 300 mil kits de testes rápidos para detecção da Covid-19, anunciada recentemente e que custaria aos cofres públicos R$ 39 milhões. Ele esclareceu que dois fatores pesaram na balança: o fato de que o teste só pode ser aplicado em pessoas com sintomas – “portanto, há uma janela de 10 dias, entre o primeiro dia de contaminação e o início da produção de anticorpos, em que o resultado não é conclusivo” –, e também porque 30% dos casos apresentam um falso negativo. “Não dá para trabalhar com uma margem de erro grande como essa”, assinalou Caiado.


Sobre as medidas para mitigar as crises econômica e social, o governador informou que passou o último domingo (29/03) ligando para donos de supermercados. A intenção, detalhou, é que o Estado compre desses estabelecimentos um grande volume de cestas básicas, que serão distribuídas aos mais carentes e aos trabalhadores informais. Ele ainda lembrou que a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) está à frente da Campanha de Combate à Propagação do Coronavírus, que está recebendo para depois direcionar doações às famílias socialmente mais vulneráveis no Estado; e que conseguiu a liberação de R$ 75 a mais no Bolsa Família, para cada filho que estiver na escola. Para os micros, pequenos e médios empresários, reiterou que haverá investimento de R$ 500 milhões por meio da GoiasFomento e que trabalha para que o Banco do Brasil, instituição financeira que opera o Fundo de Financiamento Constitucional do Centro-Oeste (FCO), retire a burocracia para liberar, de forma mais rápida, capital de giro para os empreendedores.



  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
BANDEIRAS-1-300x250px-B.gif
GIF-JARAGUA-ATUALIZADO.gif
petro-arabe2-17-8.gif
PATROCÍNIOS

By R2 Soft - © 2016 Folha de Jaraguá