top of page

Caiado diz que não traiu o agronegócio sobre projeto de taxação “Não governo para grupos”

18/11/2022 (20hs21m) - Em entrevista à TV Anhanguera, o governador Ronaldo Caiado (UB) comentou a repercussão do projeto que cria a chamada “taxa do agro” aprovado na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) nesta quinta-feira (17). Ele afirmou que não se sente um traidor do agronegócio.


“Não sou homem que governa para grupos. Sou um homem que governa para todos”, disse Caiado. Ressaltando que ele próprio é produtor rural e médico, o governador afirmou que não pode beneficiar categorias. “Eu não posso governar simplesmente para dizer: ‘sob os médicos e os produtores rurais nada acontece, os demais pagam a conta”, concluiu.


Por 22 votos a 16, a proposta do governo Caiado de criar uma taxa para o agro foi aprovada Alego. A taxação prevista no projeto pode chegar até 1,65% e serve para compensar a perda de arrecadação do ICMS por medida do governo federal, conforme justifica o Estado. Esta não terá incidência em toda a produção agropecuária. Apenas os produtores de milho, soja, cana de açúcar, carnes e minérios serão contribuintes. A proposta do governo estadual é que o valor arrecadado vá para um fundo e seja investido na infraestrutura do Estado.


Caiado contrariado


Conforme apurado pela coluna de Tainá Borela, Caiado convidou os deputados da sua base, que votaram a favor do projeto para um almoço no Palácio das Esmeraldas no início da tarde desta sexta.


Na ocasião, o governador afirmou aos presentes que ficou contrariado com a postura do presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSD), e do presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), o deputado federal José Mário Schreiner (MDB), por se posicionarem e atuarem contra a aprovação da matéria.


Comments


  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
radar novembro 2020.gif
petro-arabe2-17-8.gif
ACIJ.png
laclin.JPG
PATROCÍNIOS
midia-top-2022.gif
bottom of page