• Folha de Jaraguá

Protesto contra Bolsonaro organizado pela 3ª Via é um fisco de público em todo Brasil

12/09/2021 (18hs09m) - As manifestações contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que ocorreram no domingo (12/09) em várias capitais e cidades do país tiveram baixíssima adesão. Os atos, que começaram durante a manhã e se estenderam pela tarde, pediam o impeachment de Bolsonaro e cobram por mais vacinas contra a Covid-19, além de críticas ao ex presidiário Lula.


Sob o mote “Fora Bolsonaro”, os protestos estavam previstos para 19 capitais. Os protestos foram organizados pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelos grupos Vem Pra Rua e Livres. A articulação atraiu o apoio de políticos de direita, de centro e de esquerda, mas ainda dividiu a oposição. O PT e outras legendas de esquerda não aderiram aos protestos de domingo, e vão fazer sua própria manifestação contra Bolsonaro para 2 de outubro.


Além de líderes do MBL, como o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), estiveram nos atos o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), os senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Simone Tebet (MDB-MS), os deputados federais Alessandro Molon (PSB-RJ), Orlando Silva (PCdoB-SP) e Tabata Amaral (sem partido-SP), e João Amoedo, que foi candidato a presidente pelo Novo em 2018, e os pré-candidatos a presidente Ciro Gomes (PDT) e João Dória (PSDB).


Na Avenida Paulista, em São Paulo, segundo levantamento do Centro de Operações da Polícia Militar de São Paulo (Copom), aproximadamente 10 mil pessoas participaram da manifestação na Paulista até o meio da tarde. Os protestos que aconteceram em Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, também foram um fisco de público.




  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
radar novembro 2020.gif
petro-arabe2-17-8.gif
PATROCÍNIOS
midia-top-2020.gif