top of page

PGR não vê tentativa de asilo de Bolsonaro na embaixada da Hungria e frustra esquerda

09/04/2024 (13hs25m) - A Procuradoria-Geral da República (PGR) não vê motivos, no momento, para que Jair Bolsonaro (PL) seja preso ou sofra sanções mais graves por ter passado duas noites na embaixada da Hungria. O parecer foi enviado ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).


Segundo o procurador-Geral da República, Paulo Gonet, não ficou configurada a tentativa do ex-presidente em pedir asilo político na representação diplomática, após apreensão de seu passaporte. A informação foi divulgada pela CNN Brasil e confirmada por O Antagonista.


Agora, caberá ao ministro Alexandre de Moraes decidir se mantém ou arquiva o pedido de investigações. O caso foi aberto depois que o jornal americano The New York Times revelou imagens que mostram que Bolsonaro passou 48 horas na embaixada da Hungria quatro dias após a Polícia Federal confiscar o passaporte do ex-presidente.


Na reportagem, o jornal sugere que Bolsonaro estava tentando uma aproximação com Viktor Orban, primeiro-ministro da Hungria, com planos de escapar do sistema judicial brasileiro. À época, a defesa do ex-presidente disse ao gabinete do ministro do STF que havia ausência de preocupação com a prisão preventiva e que “é ilógico sugerir que a visita dele à embaixada [da Hungria] de um país estrangeiro fosse um pedido de asilo ou uma tentativa de fuga”.


Em 8 de fevereiro, por ordem de Alexandre de Moraes, o passaporte de Bolsonaro foi entregue à PF na Operação Tempus Veritatis. No prédio da representação da Hungria no Brasil, Bolsonaro não poderia, por exemplo, ser preso.



Comments


  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
radar novembro 2020.gif
petro-arabe2-17-8.gif
ACIJ.png
laclin.JPG
PATROCÍNIOS
midia-top-2022.gif
bottom of page