• Folha de Jaraguá

Polícia Civil e PM de Jaraguá elucidam assassinato de Israel de Almeida Diniz


No dia 12 de janeiro, no Setor Primavera, Jaraguá, o menor Israel de Almeida Diniz estava em casa quando dois homens chegaram a procura de Rafael, vulgo Rafinha (irmão de Israel). Rafinha conseguiu fugir, porém, o menor de 14 anos não teve a mesma sorte e foi alvejado por disparos de arma de fogo e não resistiu aos ferimentos, vindo a óbito.

Testemunha ocular afirma que dois homens estavam dentro da residência e havia um terceiro do lado de fora aguardando a ação dos comparsas. O Inquérito Policial foi imediatamente instaurado e, ato contínuo, os policiais civis iniciaram as diligências. Após várias trocas de informações com a Polícia Militar, os suspeitos foram identificados e qualificados.

Foi representado pelas prisões temporárias dos suspeitos Alexandre José Galdino Ribeiro, Luciano José Batista Nascimento Filho (Vulgo Cotonete) e José Francisco Dornas Neto (Vulgo Zé Neto) e o pleito foi deferido. Numa força tarefa entre a Polícia Civil e a Polícia Militar, os três foram presos dentro de dois dias.

A testemunha ocular reconhecera Alexandre José e Luciano José Batista como sendo os autores do crime de sangue, ou seja, os que entraram e atiraram. Zé Neto era responsável em dar o apoio logístico aos assassinos. O Inquérito Policial foi finalizado e os três foram indiciados por homicídio qualificado.

A motivação do crime foi ocasionada por disputa de espaço entre as facções criminosas alastradas em Jaraguá. Por fim, foi representado pela conversão da prisão temporária em prisão preventiva dos indiciados Alexandre José Galdino Ribeiro, Luciano José Batista Nascimento Filho (Vulgo Cotonete) e José Francisco Dornas Neto (Vulgo Zé Neto) sendo o pleito deferido.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
radar novembro 2020.gif
petro-arabe2-17-8.gif
PATROCÍNIOS

By R2 Soft - © 2016 Folha de Jaraguá