• Folha de Jaraguá

Desvio de dinheiro de idosos: Uma mulher é denunciada pelo MP e outra condenada pela justiça


O promotor de justiça, Everaldo Sebastião de Souza, em entrevista a Rádio Nova Dimensão FM, na manhã de terça-feira, 03 de julho, falou sobre o envolvimento de duas pessoas de Jaraguá, em desvio de dinheiro de idosos. O primeiro caso se refere a uma servidora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais que foi condenada em primeira instância por desvio de recursos de beneficiários da aposentadoria rural. O segundo caso se refere à Ex-diretora do Abrigo Lar Mãe Emília, que teria desviado 10 mil reais dos idosos moradores da instituição.

Em entrevista ao repórter Dude Bill, o promotor disse que Núbia Rodrigues Souza, filiada ao PSDB, suplente de vereador, que assumiu o comando do Abrigo Lar Mãe Emília em 2017, foi afastada pela Primeira Dama, Rúbia Oliveira, que informou o caso ao Ministério Público, que em seguida abriu investigação e descobriu que o desvio era de mais de 10 mil reais em recursos que pertenciam aos idosos. “Ela ficou quatro meses a frente da instituição e praticou diversas irregularidades” frisou.

Segundo o promotor, a ex-diretora foi denunciada por apropriação indébita. “Ouvimos diversos idosos, fizemos a contabilidade do dinheiro, das doações recebidas pelo abrigo, recursos para realizar cirurgias e compras de remédios. Havia no caixa, algo entorno de 2 mil reais, que foram gastos com ela. E o pior, a aposentadoria de vários idosos que ela se apropriou também. Após denunciarmos, ela fez um acordo de devolver o dinheiro e assumiu a culpa” frisou.

Após o acordo com a investigada, o Ministério Público, estabeleceu um prazo para a devolução do dinheiro, sob pena de pedir a prisão da Ex-diretora. “Mesmo devolvendo o dinheiro, ela responderá por apropriação indébita qualificada, que tem pena de 2 a 5 anos. No final do processo ela poderá ser condenada e presa” concluiu.

OUTRO LADO

O repórter Dude Bill, procurou Núbia Rodrigues, que afirmou que em breve irá apresentar sua versão, contestando a acusação.

APOSENTADORIA RURAL Everaldo Sebastião de Souza, também falou sobre a condenação de Marta Camargo, que trabalhava no Sindicato Rural de Jaraguá e foi denunciada por desvio de aposentadoria de trabalhadores. “Ela foi condenada em primeira instancia, por estelionato e apropriação indébita, por enganar os trabalhadores, porque ela efetivamente recebia e não repassava aos idosos. Ela já chegou a ser presa, mas o Tribunal de Justiça soltou” explicou.

De acordo com o representante do Ministério Público, a servidora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, foi condenada a 6 anos de prisão (regime semi aberto). “Existe a condenação e o processo é público. Deixo claro que não é interesse nosso em expor ninguém, agora quem não quer ver seu nome divulgado em processos, que efetivamente não pratique coisas erradas. Não engavetamos nada, porque o processo tem que ser público” disse.

O promotor disse ainda que assim que a sentença tramitar em julgado pedirá o ressarcimento e a reparação de danos aos aposentados.

OUTRO LADO Procurada, a defesa de Marta Camargo, ainda não se pronunciou. Cabe recursos a condenação nas instancias superiores.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
radar novembro 2020.gif
petro-arabe2-17-8.gif
PATROCÍNIOS

© Copyright 2006 - 2021 Folha de Jaraguá