• Folha de Jaraguá

Há mais de mil minutos sem sofrer gol pelo Jaraguá, Johnathan ganha reportagem em O Popular


O Jornal O Popular, na edição de sexta-feira, 03 de novembro, traz uma extensa reportagem sobre o goleiro do Jaraguá Esporte Clube, que começa assim: De 28 de maio a 20 de julho, o goleiro Johnathan viveu dura rotina das derrotas e o trabalho de buscar a bola nas redes do Monte Cristo, em que foi titular na Divisão de Acesso. Tempo foi, tempo veio. Após breve intervalo, ele estreou pelo Jaraguá na 3ª Divisão, em 26 de agosto.

Dois meses já se passaram e, hoje, o disco virou o lado - intransponível na meta, Johnathan é o menos vazado da Terceirona, com a incrível façanha de não ter sofrido gol em 11 partidas - 10 na 1ª fase e 1 na semifinal, diante do Bom Jesus, que ficou empatada por 0 a 0.

Trata-se de recorde na competição - a melhor marca foi da Aseev (Paraúna), campeã invicta da Terceirona 2015, com seis jogos intacta. Domingo, se não sofrer gol do Bom Jesus, na volta da semi final, Johnathan dobrará o número da Aseev. O problema é que o Jaraguá, time dele, terá de marcar gol para obter acesso à 2ª Divisão, ir à final e disputar o título inédito da 3ª Divisão.

“Ano passado, já havia desistido. Fui convidado pelo Monte Cristo para a Segundona. Seria o reserva. De repente, fui titular. Fui mais vazado e, num jogo, encontrei o Coutinho (técnico do Jaraguá e, à época, no América). Conversamos e ele quis saber se eu não havia parado (de jogar).” Então, apareceu o convite do primeiro técnico do recordista, na base do Atlético, em 2014/15.

Como na música Tente outra vez, de Raul Seixas, Johnathan e Coutinho acertaram ponteiros. “Ele (Coutinho) falou do projeto do Jaraguá e fez convite para fazer parte”, disse o goleiro da Lendária Terra, termos gravados no escudo do clube. Incrível é que, no Jaraguá, o goleiro e outros colegas jogam pela vitrine - sem salário fixo, compensam o investimento com os bichos recebidos. “Compensou e já juntei alguma coisa”, disse, sem citar valores.

O melhor é que Johnathan já é lenda no clube mais antigo do futebol goiano, mas sem tradição no profissionalismo. Aposta certa, após 8 jogos, 22 gols sofridos e descenso no Monte Cristo, além de viagem de 15 dias, e testes frustrados, na Holanda. O algoz dele foi Nonato que, num jogo, fez 4 gols pela Anapolina.

VÍDEO: Globo Esporte destaca a trajetória da carreira do goleiro do Jaraguá Esporte Clube

Salto na carreira.

Johnathan colhe frutos da persistência. Como bom goleiro, saltou e agarrou a chance. “Eu tinha de ajudar a minha família. Resolvi trabalhar de servente com meu pai (Walter, pedreiro) e fui jogar na várzea, onde ganhei 20 títulos”, citou.

No terrão ou campos society, o goleiro foi colega de Michael, atacante do Goiás que teve trajetória parecida. Nesse período, o goleiro trabalhava com gesso acartonado (drywall), ramo em que conheceu Alessandro Ribeiro, hoje gerente da carreira do goleiro.

Ambos dizem que não há nada definido para 2018. Mas Johnathan deseja ter chance de jogar o Goianão ou outra competição. Afinal, ele se credenciou para isso.

NÚMEROS

Johnathan Rodrigues tem 22 Anos, natural de Goiânia, mora em Aparecida de Goiânia, tem 1,86 m e 69 kg.

1063 minutos, é o tempo somando cada jogo e acréscimo nos quais Johnathan ficou sem levar gol na 3º divisão. A melhor atuação, para ele, foi no 0 x 0 com a Jataiense.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
radar novembro 2020.gif
petro-arabe2-17-8.gif
PATROCÍNIOS

By R2 Soft - © 2016 Folha de Jaraguá