• Folha de Jaraguá

9º homicídio do ano: Cinco meses após ser baleado morre Cleomar Ribeiro da Silva


Foi confirmada por familiares na manhã de 16 de outubro, a morte de Cleomar Ribeiro da Silva, 35 anos, que faleceu no domingo, 15 de outubro. A vítima havia sofrido uma tentativa de homicídio na manhã do último dia 24 de abril, na Vila Colombo, região norte de Jaraguá. Cleomar Ribeiro ficou quase seis meses hospitalizado, com sua morte confirmada foi contabilizado o 9º homicídio do ano no município.

O crime contra Cleomar Ribeiro da Silva foi praticado por um homem que entrou armado em uma lanchonete que ficava ao lado da oficina da vítima, próximo à sede do Conselho Tutelar, o criminoso disparou duas vezes, um dos tiros acertou o braço e outro as costas e atravessou o peito da vítima.

Até o final da tarde de segunda-feira, 16, o delegado de Jaraguá, Glênio Ricardo, aguardava a documentação que confirmasse a morte de Cleomar Ribeiro da Silva. “Assim que receber a certidão de óbito e constar que a morte foi em decorrência dos ferimentos por aqueles disparos, vamos tratar oficialmente o caso como o nono homicídio do ano em Jaraguá” disse.

O delegado falou ao repórter Wellington Marques (Portal do Valle) que um suspeito está detido por envolvimento com o caso e há novidades em relação ao executor dos disparos, porém tudo será mantido em segredo até a conclusão do inquérito.

→ MAPA DA VIOLÊNCIA EM JARAGUÁ ←

O 1º homicídio do ano: Foi registrou no sábado, 14 de janeiro (feminicídio), quando foi encontrada morta no Residencial Olinda, nas imediações setor Morada Nova II, a jovem Amanda Oliveira Marques, 20 anos. Ela foi assassinada com a utilização de tijolos, ficando com o rosto completamente desfigurado, além de estar nua, as roupas estavam rasgadas. O crime foi elucidado com a prisão de Valdison Freitas Moura Neto (20 anos) que confessou o ser autor do assassinato.

O 2º homicídio do ano: Foi registrado na noite de sábado, 01 de abril, por volta das 19h30, no Jardim das Vivendas, região da Vila São José. Foi executado a tiros, o jovem Zenaldo Pereira Lemes, 21 anos. Seu irmão, Zeniel Pereira Lemes, foi alvejado com tiro na perna. O caso foi elucidado quatro meses após ser instaurado o inquérito, sendo identificados, qualificados e presos dois suspeitos Welder Martins Barbosa (vulgo Gordinho / Gordinho Moreno / Moreno Gordinho / Gordinho do Lavajato) e Breno Conceição de Oliveira (Vulgo Breninho / Breno Ratinho).

O 3º homicídio do ano: Foi registrou na quarta-feira, 10 de maio, quando morreu no Hospital de Urgências de Anápolis o empresário Luiz Rogério Augusto da Costa, 32 anos, que havia sido baleado na noite de terça-feira, 09, no Genoveva Park, atingida por quatro disparos de arma de fogo. Um dos projéteis acertou a cabeça, entrou e saiu, outro disparo acertou o pescoço e parou no ombro, o terceiro disparo acertou o tórax e o quarto tiro acertou a coluna. O crime ainda não foi elucidado.

O 4º homicídio do ano: Foi registrado no sábado, 13 de maio, durante a madrugada, quando foi morto a pauladas e tijoladas, um andarilho (não identificado), o corpo foi encontrado na Rua Marcelino Álvares, na Vila Isaura, em um beco entre duas residências. A causa da morte foi devido a ciúmes e a disputa por um macarrão Miojo. Foi denunciado pelo crime Jean Aparecido dos Santos, também andarilho, elucidando assim o caso.

O 5º homicídio do ano: Foi registrado na noite de sexta-feira, 09 de junho, quando foi assassinado na Praça JK, no Gamboa Bar e Restaurante, Pedro Henrique da Silva Moreira (Basilão), ele foi alvejado com vários disparos de arma de fogo, por dois jovens encapuzados que chegaram a pé ao local e atiraram sem dar chances de reação a vítima, que estava de costas, trocando uma lâmpada. O crime continua por ser elucidado.

O 6º homicídio do ano: Foi registrou na noite de domingo, 06 de agosto, quando Júlio César Aurora Monteiro foi atingido por dois disparos fatais no encerramento da Festa no Distrito de Monte Castelo. Testemunhas disseram que a vítima estava em uma barraca quando o autor dos disparos se aproximou e atirou, acertando a região do coração e tórax. O caso ainda não foi elucidado.

O 7º homicídio do ano: Foi confirmado com a morte do detento, Leonardo Moraes Aprígio, que havia sido baleado na segunda-feira, 25 de setembro, durante troca de tiros na porta da Unidade Prisional de Jaraguá. Leonardo Moraes havia tentado matar outro detento, Marcos Túlio Teodoro Bessa, quando também atirou contra agentes prisionais, que revidaram e o atingiu. Na sexta-feira, 29 de setembro, ele passou mal e veio a óbito, devido às complicações por causa dos ferimentos à bala, ele faleceu com suspeita de infarto. O caso foi elucidado.

O 8º homicídio do ano: Foi registrado no início da manhã de segunda-feira, 09 de outubro, quando foi brutalmente assassinado, Gilson Nunes da Silva Vicente a facada e tijoladas no Setor Santa Fé, bairro da região sul de Jaraguá. No mesmo dia a Polícia Civil elucidou o caso com a prisão em flagrantes de dois suspeitos: Sérgio da Silva (21 anos) e Marcelo Sallas da Costa (19 anos).

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
Campanha-covid-saude-estado01.gif
GIF-JARAGUA-ATUALIZADO.gif
petro-arabe2-17-8.gif
PATROCÍNIOS

By R2 Soft - © 2016 Folha de Jaraguá