• Folha de Jaraguá

Ministério Público irá notificar CELG para resolver problema na rede elétrica do Setor Oeste


Nos últimos meses, moradores do Setor Oeste, próximo a Vila Isaura, vem reclamando da falta de manutenção na iluminação pública no bairro e também que sem motivo aparente, vem tendo prejuízos com a queima de eletroeletrônicos. Questionado sobre a ausência do serviço de troca de lâmpadas no bairro, o Secretário de Desenvolvimento Urbano e Serviços Públicos, Aldenor Moreira, afirmou textualmente que a rede elétrica do Setor Oeste está condenada e que até troca de lâmpadas coloca a vida dos servidores em risco.

O promotor de justiça, Everaldo Sebastião de Souza, em entrevista a Rádio Sucesso FM (101,5), afirmou ao repórter Adriano Fernandes, que bastava os moradores do bairro, apresentarem um abaixo assinado, que o Ministério Público ingressaria com uma ação contra a CELG, para que ela corrigisse o problema.

Enquanto a prefeitura preferiu se eximir da responsabilidade para uma solução para os moradores do Setor Oeste, o legislativo entrou no caso através do vereador Valdir Galinha (PSD), que procurou o Ministério Público e apresentou em nome dos moradores, dois requerimentos, um inclusive datado de março, onde solicitava a CELG uma solução para o problema.

Embora as Centrais Elétricas de Goiás, tenha ignorado os requerimentos do vereador Valdir Galinha (PSD), não poderá ignorar a ação do Ministério Público. O promotor Everaldo Sebastião de Souza, disse que até a próxima semana a CELG deverá ser notificada. “O vereador inclusive nos informou que a empresa já está ciente do problema. Vamos notificar e abrir um prazo, caso não seja resolvido vamos ingressar com uma ação” concluiu.

O Ministério Público em Jaraguá, de modo geral, tem sido acionado para resolver problemas que afetam a sociedade. São demandas que deveriam ser equacionadas pelo Governo de Estado, pela Prefeitura e até mesmo por empresas privadas como nesse caso, pela CELG. O Ministério Público tem atuado quase como poder executivo.

ANÁLISE

Praticamente todos os loteamentos abertos em Jaraguá nos últimos 12 anos, tiveram algum tipo de problema após sua liberação, seja no descumprimento da lei de parcelamento do solo, seja por outras irregularidades. Mas é a primeira vez, que um loteamento sofre com problemas sérios na questão elétrica e há questionamentos também sobre a liberação de uma rede condenada.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
radar novembro 2020.gif
petro-arabe2-17-8.gif
PATROCÍNIOS

By R2 Soft - © 2016 Folha de Jaraguá